O trabalho criativo

Escrever uma tese é um trabalho criativo.

Em diversos momentos me peguei com uma sensação parecida àquela que a gente tem quando desenha ou pinta, quando um novo elemento (um novo traço, uma nova cor) surge , do nada, e agrega muito.

Assim é com o texto. Assim é com a escrita.

Exibindo IMG_20150818_175332.jpg

A dificuldade maior é que o trabalho criativo não obedece a hora do relógio.

Em determinados momentos todo o seu ser está voltado àquilo, e aí se passam horas de trabalho, num delicioso mergulho.


Em outros momentos, a agua está fria, você não entra. Não sente vontade de entrar, ou quando entra, não se diverte.


A dificuldade está em aceitar esses momentos. Aproveitar o fluxo quando ele vem e respeitar a pausa, o descanso.

A hora da pausa é sempre uma agonia.

O sentimento de estar perdendo tempo tem que ser controlado, ser transformado em sentimento de pausa, de gestação, de espera.

Não, not so easy. No entanto, só tem esse jeito. Não dá pra forçar. Nos momentos em que a escrita não vem, faço a leitura, arrumo as normas da ABNT, descanso, ponho outras coisas em dia.


A técnica do Pomodoro têm me ajudado a focar. (Nessa técnica, vc divide o estudo/ trabalho em pequenos pomodoros de 25 minutos. Usa um cronômetro e a cada pomodoro completo faz uma marca e uma pausa obrigatória de cinco minutos. Após quatro pomodoros a pausa é maior: vinte e cinco minutos:




Além de manter a concentração, a técnica  nos dá um panorama, no fim do dia, de quantas horas de trabalho foram. O que ajuda a lutar contra a sensação, que todo mestrando têm, de que "não está fazendo o suficiente".









Postar um comentário

Postagens mais visitadas