Menos é mais

Estou imensamente irritada com todos os livros e coisas e roupas que eu tenho que guardar e mover daqui para o apê novo. Mudar para um apê tem para mim um certo charme minimalista. A ideia é ficar mais perto de tudo, num local uber, central, poder caminhar, ser simples. Porém mesmo com um desejo interno minimalista forte me sinto tentada a mantê-los todos ... livros são tão legais, eu não me sinto pronta para me desfazer deles, sério. Além de tudo são bonitos. Nunca poderia trocar livro por aquele negocio eletrônico....o kindle. Talvez aqueles que são  mais texto ...mas muitos que tenho por aqui são lindos, tem que ser abertos, folheados e lidos. Disso eu não vou me curar. Nem quero. Mas é claro que tem livros que podem ser dados, trocados, colocados para circular. Hoje conversando com um pessoal minimalista me deram a idéia da doação para bibliotecas. De fato , aqueles livros simples, que são só textos, mesmo que muito bons, eu sinto que é o melhor. Por que além de tudo o livro circula. Paira no ar do acumulador  uma idéia de que você lerá de novo algum dia. Sim, posso ler de novo, posso retirar numa biblioteca, posso comprar um pequeno livro de bolso. E enquanto isso muitos jovens terão tido acesso aos romances, contos, textos bons que me tocaram. Definido então o desafio : manter os livros de arte, os livros bonitos, que são de alguma forma especiais, e ir me desfazendo dos livros mais comuns. Os L&PM e afins podem ir para o mundo...Eu que amo literatura estarei fazendo um bem a ela ao divulgá-la. Melhor que mantê-la sob minha guarda.
Sala coloridinha, mesa junto a janela, estante cm livros decorano o ambiente.. detalhes e enfeites. Tudo lindo!

Nhami!

Na sala de estar deste apartamento no bairro dos Jardins, em São Paulo, uma extensa persiana na cor branca controla a entrada de luz no ambiente. Sob a janela, um móvel de madeira organiza livros e revistas sobre artes plásticas
Postar um comentário

Postagens mais visitadas